Connect with us

Notícias

Idoso de 70 anos morre após ser atacado por abelhas no interior de SP

Artigo

em

Um idoso de 70 anos morreu na madrugada desta quarta-feira (13), quase quatro dias após ter sido picado por abelhas no bairro Jardim Adelino Simioni, em Ribeirão Preto, no interior de SP.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o ataque do enxame ocorreu por volta das 13h30 do último sábado (9), na Rua Benedito José Giannasi, enquanto Lúcio Mário Ramos Garcia ia até um mercado local comprar ovos. No percurso, o homem chegou a sentar em um banco próximo a uma linha de trem abandonada da cidade e foi atacado.

LEIA TAMBÉM

Vizinha da família, a dona de casa Zélia das Graças Matheus Muniz, 66, afirmou que muitas pessoas próximas ao local prestaram ajuda. Ela, com idade avançada, se protegeu e procurou entender o que estava ocorrendo. “Eu presenciei de longe, então não tinha como fazer muita coisa. Tinha muita abelha pelo local”, lembra, afirmando ainda que o resgate demorou a chegar na rua.

A enteada da vítima, Priscila Ferreira de Jesus, 32, contou à reportagem que a mãe, Sandra Maria Ferreira, está completamente abalada com o que ocorreu ao marido. “Quando nós chegamos no Hospital das Clínicas, a junta médica já nos avisou que o estado dele era muito grave. Eles contaram que, quando a roupa foi tirada, a sala ficou cheia de abelhas. Era dez horas da noite e eles estavam tirando os ferrões das costas dele ainda”.

De acordo com Priscila, o problema de enxames na região foi notificado à Prefeitura de Ribeirão Preto, há mais de três anos, pelos moradores do bairro Jardim Adelino Simioni. “Precisou uma pessoa vir a óbito, para que a Prefeitura tomasse uma providência. E não é só ali onde meu padrasto morreu que tem foco de abelha”, denuncia.

A bióloga, professora do Centro Universitário Barão de Mauá (CBM) e doutora em ciências biológicas pela Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (USP-RP) Glaucya de Figueiredo Mecca, 55, explicou que geralmente as abelhas atacam por se sentirem ameaçadas ou quando ouvem barulhos, vibrações e sentem odores diferentes — algumas vezes, essas abelhas, da espécie apis mellifera, estão mudando de habitat devido à divisão da colônia, o que pode torná-las mais suscetíveis a ataques.

“Ao serem atacadas, as pessoas tentam retirar as abelhas, muitas vezes esmagando e fazendo com que liberem uma substância de defesa que tem, praticamente, a função de chamar ajuda, por isso o ataque massivo”, explica a bióloga.

Em nota, a Prefeitura de Ribeirão Preto esclarece que o Controle de Zoonoses da cidade é responsável por situações de acidentes que envolvem animais peçonhentos como escorpiões, aranhas e cobras. “Com relação às abelhas, que infelizmente vitimaram o senhor, a pasta informa que havia encaminhado o caso para solução, mas, na manhã desta quarta-feira, o Corpo de Bombeiros retirou os animais do local”, afirmou.

O UOL entrou em contato com a Secretaria de Saúde de Ribeirão, responsável pelo SAMU do município, para verificar a denúncia de que houve demora no atendimento, mas até a publicação desta reportagem, não obteve retorno. O espaço segue aberto para atualização tão logo esclarecimentos sejam prestados.

PUBLICIDADE

Notícias

Temporal e ventos fortes deixam prejuízo no interior de SP | Repórter São Paulo | TV Brasil | Notícias

Artigo

em

Por

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o “Fale com a Ouvidoria” da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

LEIA TAMBÉM

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Continue lendo

Notícias

Megatelecom adquire IFTNET Telecom e cresce no interior de SP

Artigo

em

Por

Foto: Pexels

LEIA TAMBÉM

Provedora regional focada no mercado B2B, a Megatelecom anunciou a compra de 100% do capital da IFTNET Telecomunicações. O movimento envolve data centers regionais e redes em cidades do interior paulista.

Valores da transação não foram divulgados, mas a Megatelecom manifestou expectativa de ampliar o faturamento anual em 20% com a aquisição. Sediada em São José do Rio Preto (SP), a IFTNET tem data center na cidade e em Ribeirão Preto, presença em Presidente Prudente, Barretos, redes de fibra óptica GPON e outros recursos.

“Essa aquisição é transformacional para a empresa, uma vez que nos permitirá o acesso imediato a uma plataforma com infraestrutura bastante escalável, confiável”, afirmou o CEO da Megatelecom, Carlos Eduardo Sedeh.”[O negócio] resultará em uma rápida expansão do nosso mercado endereçável e menu de serviços no presente, assim como a conquista de uma posição estratégica única para aproveitar a expansão do 5G“.

Notícias relacionadas

Pelos termos do acordo, o fundador e CEO da IFTNET, Flávio Barros, se juntará ao time da Megatelecom como diretor executivo. A empresa está em operação desde 2003.

Estratégia

Atuante nos mercados de provimento de acesso à Internet, links de transporte de longa distância e telefonia, a Megatelecom também tem atuação em Goiânia além do estado de São Paulo. E neste ano anunciou o ingresso no mercado residencial de Internet, com piloto nas cidades de Barueri e Santana do Parnaíba (SP).

Continue lendo

Notícias

Governo de SP paga R$ 200 mil de indenização a família de delegado morto por Covid

Artigo

em

Por

LEIA TAMBÉM

Nestor Sampaio Penteado Filho, titular da 1ª Delegacia Seccional de Campinas (SP), morreu por complicações da Covid-19 — Foto: Reprodução

O governo de São Paulo pagou R$ 200 mil de indenização à família de um delegado da Polícia Civil que foi contaminado pelo coronavírus durante o trabalho e morreu em decorrência da Covid-19. O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) divulgou um comunicado em que pede que a Secretaria da Segurança Pública (SSP) pague indenizações a todos os familiares de policiais mortos pelo vírus em razão das suas funções (leia mais abaixo).

O delegado titular da 1ª Seccional de Campinas, interior do estado, Nestor Sampaio Penteado Filho, tinha 54 anos quando morreu no último dia 14 de julho. Ele estava internado desde 18 de março no Hospital São Luiz, na capital paulista.

De acordo com publicação da última sexta-feira (22) do Diário Oficial do estado, três pessoas da família de Nestor vão ser indenizadas pela “morte acidental do delegado”.

Ainda de acordo com o documento, “tal decisão fundamenta-se nos elementos probatórios acostados aos autos, especialmente nas conclusões alcançadas na Apuração Preliminar (…), indicativos de que a morte ocorreu em razão da função.”

Prédio da Delegacia Seccional de Campinas, SP — Foto: Luiz Granzotto / Prefeitura de Campinas

Segundo policiais ouvidos pelo g1, o delegado Nestor deixou a mulher e um filho. As equipes da Polícia Civil em Campinas foram vacinadas contra a Covid em 28 de março deste ano.

Por meio de nota divulgada na ocasião da morte do policial, a Secretaria da Segurança Pública lamentou a perda do delegado e informou que, desde o início da pandemia, vem adotando medidas para garantir a proteção dos agentes contra a contaminação pelo vírus.

Em nota, a SSP informou que desde o início da pandemia, a pasta tem adotado “adotado todas as medidas necessárias para garantir a proteção de seus agentes, seguindo as recomendações e orientações das autoridades de saúde e do Centro de Contingência da Covid”.

“Paralelamente às ações de saúde, a SSP e as polícias adotaram medidas administrativas para garantir a higidez da tropa, como a revisão e readequação de escalas e turnos de trabalho, bem como a ampliação da Delegacia Eletrônica. Ao todo, desde março de 2020, 85 policiais civis e 105 policiais militares foram vítimas dos vírus. As indenizações às famílias de policiais mortos em decorrência da covid-19 são fruto de apuração pelos canais competentes para, após o devido processo legal, a aplicação das medidas cabíveis”, afirmou.

Sindicato dos delegados

Diário Oficial publica decisão do governo de São Paulo de pagar R$ 200 mil de indenização à família de delegado morto por Covid — Foto: Reprodução/Diário Oficial de SP

Por meio de nota, a presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, Raquel Kobashi Gallinari Lombardi, informou que entrou em contato nesta segunda com o secretário da pasta da Segurança, general João Camilo Pires de Campos, para pedir que as indenizações sejam estendidas a parentes de todos os policiais que se contaminaram com a Covid durante o trabalho e morreram.

“O Sindpesp vem respeitosamente à presença de vossa excelência solicitar a adoção de medidas necessárias para estender o direito de indenização por morte acidental a todos os policiais civis que contraíram coronavírus e faleceram no exercício das suas relevantes funções“, escreveu a delegada Raquel, que pediu ainda uma homenagem para eles. “A inscrição dos nomes dos falecidos na ‘Galeria de Honra’ da Academia de Polícia, em cerimônia realizada anualmente a 21 de abril, Dia da Polícia'”.

De acordo com a assessoria de imprensa do sindicato, o órgão entrará “em contato com a Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo e Defesa da Polícia Militar (Defenda PM) para que a solicitação seja extensiva aos policiais militares mortos por Covid”.

VÍDEO: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS

Copyright © 2021 powered by NH TV.