Connect with us

Música

Fã de Marília Mendonça, aposentada faz música caipira para rainha da sofrência: ‘Cantando com os anjos’; VÍDEO

Artigo

em

LEIA TAMBÉM

Casal de Franca, SP, compõe música caipira em homenagem a Marília Mendonça; assista

Casal de Franca, SP, compõe música caipira em homenagem a Marília Mendonça; assista

Três dias tinham se passado desde a morte da cantora Marília Mendonça, vítima de um acidente aéreo que comoveu todo o país. A professora aposentada Airta Iva de Oliveira, de 71 anos, fazia café na cozinha de casa em Franca (SP), quando foi tomada por um momento de inspiração em meio à tristeza do acontecimento. Sentou-se à mesa, pegou uma folha de sulfite e, em 20 minutos, converteu aquele sentimento em versos dedicados à rainha da sofrência.

Com o marido, o vigilante Donizete Vaz de Oliveira, de 59 anos, ao acordeon, ela transformou as frases na canção “Marília Mendonça, Cantando com os Anjos” (veja acima), gravada em estúdio e divulgada há menos de duas semanas no Youtube.

Uma homenagem simples, mas com a pretensão de, quem sabe, chegar aos ouvidos de Maiara e Maraísa, amigas de Marília e companheiras da turnê “As Patroas”, interrompida pela tragédia em Caratinga (MG).

“Eu acho, do meu ponto de vista, que elas iam gostar muito dessa letra, da música em si. Fiz uma música do ocorrido, resumindo. Falei tudo, mas resumindo”, explica dona Airta.

Airta e Donizete, de Franca (SP), fizeram música em homenagem a Marília Mendonça — Foto: Zé Mattos

Na valsa caipira de poucos acordes, que remete à origem rural da aposentada nascida em São João Batista do Glória (MG), ela lembra da “mulher, mãe”, da “cantora amada”, que muito cedo partiu por conta do acidente de avião, no auge da carreira. “5 de novembro, seu dia chegou, saiu contente pra fazer um show, lá em Caratinga a estrela apagou.”

A letra também imagina Marília em outra dimensão, mas fazendo o que mais sabia em vida. “É mais uma estrela que lá está brilhando, cantando com os anjos fazendo o seu show.”

Marília Mendonça e Maiara e Marais em foto para o projeto As Patroas — Foto: Reprodução/Instagram

A versão final de estúdio surpreendeu, conta a aposentada, na simplicidade de quem nunca estudou música ou cantou profissionalmente, mas que sempre gostou de escrever versos e de cantar, desde a infância.

“Quando a música ficou pronta, que nós gravamos e comecei a ouvir, pensei: será que fui eu mesma que escrevi essa letra? Fiquei pensando”, brinca Airta.

Zé Rico, Inezita, Chape: coleção de homenagens

Para quem duvida do talento de dona Airta para escrever letras, a professora aposentada mostra com orgulho a coleção de poemas escritos desde os 6 anos, quando imaginou um diálogo entre o fogo e a água, que certa vez foi derramada acidentalmente sobre um fogão de lenha na casa da família na zona rural em Minas Gerais.

A professora aposentada Airta Iva de Oliveira, de Franca (SP), sempre gostou de cantar e de escrever letras de músicas — Foto: Reprodução/Facebook

“Eu nem sabia ler e escrever, me veio na cabeça, mamãe que redigiu pra mim”, lembra.

Além de elementos da natureza, dona Airta diz se inspirar em acontecimentos da vida cotidiana, como os momentos de luto, alguns deles na música e no esporte.

Além de Marília Mendonça, José Rico [1946 – 2015], da dupla com Milionário, Inezita Barroso [1925 – 2015] e o time da Chapecoense, vítima de um desastre aéreo em 2016, já inspiraram versos de carinho da aposentada, mas nem todos viram esse trabalho.

Em 2013, uma amostra do talento dela ficou registrada em outros poemas publicados em uma antologia organizada por sua cidade natal.

“Eu tenho esse dom de compor desde que era criança, tenho mais de 70 letras. Às vezes, quando faço uma letra, que me vem inspiração de colocar música, ela vira música, mas quando não vem inspiração, eu faço poema”, explica.

Além de Marília Mendonça, aposentada de Franca também fez música para Zé Rico; assista

Além de Marília Mendonça, aposentada de Franca também fez música para Zé Rico; assista

Para uma das maiores vozes masculinas do sertanejo, a aposentada escreveu “Homenagem ao Zé Rico”, em 4 de março de 2015, um dia depois da morte do cantor, aos 68 anos (veja acima).

“Meu coração entristeceu, quando eu fiquei sabendo que o Zé Rico morreu. Uma garganta de ouro, partiu pro lado de lá, deixando muita saudade, para quem ficou de cá.”

José Rico também já foi homenageado por versos de professora aposentada de Franca (SP) — Foto: Flavio Moraes/G1

No mesmo ano, ela dedicou versos a Inezita, ícone da música caipira, do rádio e da televisão, que morreu aos 90 anos. “Com seu jeito charmoso, apresentava glamouroso um programa legal. (…) A musa sertaneja partiu, foi embora pra longe daqui.”

No caderno de dona Airta também estão guardadas as palavras de “O triste fim”, lamentando a morte da delegação de futebol de Santa Catarina que, em 2016, sofreu um grave acidente a caminho da Colômbia.

Letra escrita por Airta Iva de Oliveira em homenagem ao cantor José Rico — Foto: Airta Iva de Oliveira

“Abalou o mundo inteiro a história de Chapecó. Jogadores chapecoenses, preparados no esporte, voaram para a Colômbia e não tiveram tal sorte.”

Carinho e inspiração

De tudo que escreveu até hoje, os versos dedicados a Marília Mendonça foram provavelmente os que saíram da forma mais espontânea, diz dona Airta.

“Simplesmente eu estava fazendo café, aí pensei lá perto do fogão: vou escrever uma música pra Marília Mendonça. Terminei o café, sentei aqui na mesa e escrevi. Até pensei no título primeiro: Marília Mendonça, cantando com os anjos.”

Rascunho de ‘Marília Mendonça, cantando com os anjos’, escrita por Airta Iva de Oliveira, de Franca (SP) — Foto: Airta Iva de Oliveira

Mas a homenagem prestada à cantora, segundo a aposentada, teve uma importante ajuda do marido Donizete, acordeonista autodidata e “dos bons”, nas palavras dela, para os arranjos.

Ele conta que, apesar da inspiração instantânea da esposa, a harmonia ficou pronta de fato após três dias. “A letra ela fez de repente. Depois, pra gente colocar a música, demora mais um pouco”, diz.

O resultado final também o deixou bastante satisfeito. “Coisa maravilhosa é fazer aquilo que se gosta.”

As palavras e a canção, segundo a aposentada, simbolizam todo o carinho que ela sente pela cantora goiana, a quem prestigiava por meio de músicas como “Infiel” “Ausência” e “Eu sei de cor”, no rádio, na internet e na TV.

“Sou bastante fã. A maneira de ela se apresentar, a pessoa que era, bacana, uma cantora de renome. (…). Tem muita gente que quando sobe na vida pisa nos menores. Ela não, sempre foi uma pessoa maravilhosa.”

A trajetória de Marília e a partida dela também servem de inspiração para a vida da aposentada. Dona Airta acredita que, mesmo depois de tantos anos, ainda pode se dedicar à música, do seu jeito, como compositora.

“De repente aos 71 anos começo minha carreira. “Nunca é tarde pra ser feliz.”

VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

Continue lendo
PUBLICIDADE

Música

Aplicativo de música gratuito: 6 apps para ouvir música no celular

Artigo

em

Por

Aplicativos de música grátis, disponíveis para celular Android e iPhone (iOS), podem ser boas opções para animar a sua festa ou te ajudar a relaxar após um longo dia de trabalho. Spotify, Deezer e YouTube Music são alguns dos aplicativos de escutar música mais populares do momento. Eles oferecem acesso gratuito, que contam com algumas limitações como modo aleatório por padrão ou ausência do recurso para escutar faixas offline.

LEIA TAMBÉM

Na lista abaixo, o TechTudo reuniu seis apps para ouvir música grátis no celular. A seguir, você pode conferir como funcionam os aplicativos, quais são suas restrições no plano gratuito e quais seus valores para plano pago.

Lista traz opções para baixar app de músicas no celular — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Spotify não toca música no PC? Veja soluções no Fórum do TechTudo.

1. Spotify

O Spotifyé um dos aplicativos para ouvir música no celular mais populares. O serviço tem app com download gratuito para Android e iPhone (iOS), mas algumas de suas funções estão disponíveis apenas para membros premium do serviço (como a possibilidade de pular músicas e de escutar sem anúncios, por exemplo). Para começar a usar o app, é necessário efetuar um cadastro na plataforma e indicar alguns artistas que você gosta de ouvir.

Para interromper as propagandas e liberar as funções extras, é necessário assinar o plano premium do serviço. O Spotify oferece quatro modalidades de assinatura: o Universitário, que é o mais barato e custa R$ 9,90 por mês; o Individual, por R$ 19,90; o Duo, que dá direito a duas contas e custa R$ 24,90; e o Família, que dá direito a seis contas premium e vale R$ R$ 34,90.

Spotify tem download gratuito, mas planos pagos liberam funcionalidades extra a partir de R$ 9,90 — Foto: Reprodução/Clara Fabro

O Deezer tem aplicativo disponível para Android e iPhone (iOS) e oferece modalidades de planos gratuitos ou pagos. É preciso se inscrever na plataforma para acessar as funcionalidades do app e, assim como no Spotify, você pode indicar seus artistas favoritos para receber sugestões da plataforma e mexer no celular enquanto ouve música. O plano gratuito traz algumas limitações e também reproduz anúncios entre as faixas.

No plano grátis não é possível escolher uma música específica de um álbum, e as faixas só podem ser reproduzidas no modo aleatório. Além disso, só é possível pular cinco músicas por dia. Para acabar com as restrições, é preciso assinar o plano premium, que custa, em sua modalidade mais simples, R$ 19,90 por mês.

O Deezer também oferece outras modalidades de plano, como o Deezer Family, que libera acesso premium para até seis contas e custa R$ 34,90 mensais. Há ainda o Deezer HiFi, que oferece músicas com qualidade superior para apenas um perfil, por R$ 34,90. Vale dizer que estudantes têm desconto de 50% no plano individual, por R$ 9,90 mensais.

Deezer oferece planos pagos por preços a partir de R$ 9,90 — Foto: Reprodução/Clara Fabro

3. YouTube Music

O YouTube Music é outra opção de aplicativo de ouvir música para Android e iPhone (iOS). Se você usa Android, a plataforma já vincula sua conta Google ao serviço de forma automática, e você pode indicar os artistas que mais gosta para receber sugestões de faixas. O grande diferencial do YouTube Music é a possibilidade de assistir a clipes diretamente pela plataforma.

Já o lado negativo do app é que usuários do plano grátis não podem reproduzir mídias em segundo plano — ou seja, as faixas só tocam se o aplicativo estiver aberto no celular. Dessa forma, se você abrir outro app ou desligar a tela para economizar bateria, a música é interrompida. Além disso, o plano grátis também exibe anúncios.

No plano pago, por sua vez, usuários podem ouvir músicas e assistir a clipes em segundo plano e sem anúncios. É possível também fazer o download de faixas para ouvir offline e alternar entre áudio ou vídeo. Para isso, é necessário desembolsar R$ 16,90 por mês no plano individual. O YouTube Music ainda oferece mais duas modalidades de plano: um para estudantes, por R$ 8,50 mensais, e o Família, que libera as funções extras para cinco membros da família e tem mensalidade de R$ 25,50.

O plano gratuito do YouTube Music não deixa ouvir música enquanto mexe no celular — Foto: Reprodução/Clara Fabro

4. Amazon Music

O Amazon Music tem duas modalidades de planos: o Music Prime e o Amazon Music Unlimited. O Music Prime já é incluso no plano do Amazon Prime, que custa R$ 9,90 por mês e dá acesso a outros serviços, como o Prime Video e Prime Gaming. Já o Amazon Music Unlimited custa R$ 16,90 por mês e desbloqueia algumas funções extras. É possível testá-lo gratuitamente por um período de três meses.

O Music Prime tem acervo de dois milhões de músicas e também permite ouvir o conteúdo offline, não possui anúncios nem limite para modificar as faixas. Já o Amazon Music Unlimited oferece as mesmas vantagens, mas conta com um acervo de músicas maior, com mais de 75 milhões de faixas em sua biblioteca. Além disso, o Music Unlimited tem qualidade de áudio aprimorada e oferece experiência de áudio espacial.

O Amazon Music está incluso no plano Amazon Prime, que custa R$ 9,90 por mês — Foto: Reprodução/Clara Fabro

O Resso é um aplicativo de música gratuito para Android e iPhone (iOS). A plataforma é mantida pela mesma desenvolvedora do TikTok. Por isso, você pode fazer login na plataforma utilizando as informações da sua conta no app de vídeos curtos. A interface do Resso é similar à do TikTok, e você pode deslizar a tela para cima para pular as faixas.

No plano gratuito, as faixas são reproduzidas no modo aleatório e só é permitido pular até seis músicas por hora. Além disso, o app também exibe anúncios. Para fugir das restrições impostas pelo aplicativo, é necessário assinar o plano premium do serviço, que custa R$ 16,90 por mês ou R$ 159,90 por ano no plano individual. A modalidade individual ainda tem desconto para estudantes, saindo por R$ 8,50 mensais. O Resso conta ainda com o plano família com mensalidade de R$ 17,90, que dá acesso a seis contas premium.

Resso oferece planos a planos a partir de R$ 8,50 no celular — Foto: Reprodução/Clara Fabro

6. Vagalume

Vagalume é um app de música gratuito e está disponível para Android e iPhone (iOS). Com ele, você pode acessar diferentes estações de música, que são divididas em estilos, como “Sertanejo”, “Eletrônica”, “Indie” e “Pop”. O ponto negativo do app é que não é possível buscar por uma música específica, já que ele funciona por meio de estações, como se fosse um rádio. O lado positivo, porém, é que, por ser 100% gratuito, não tem anúncios.

Uma outra funcionalidade interessante do app é o recurso de gravações. Com ela, você pode capturar trechos da programação da rádio para ouvir offline — assim, você não consome o seu pacote de internet fora de casa. Além disso, também é possível favoritar estações para encontrá-las mais facilmente no app.

O Vagalume é gratuito e permite escolher estações com estilos de música diferentes, como no rádio — Foto: Reprodução/Clara Fabro

Com informações de Spotify, Deezer, YouTube Music e Amazon (1 e 2)

Quatro funções do Spotify que você precisa conhecer

Quatro funções do Spotify que você precisa conhecer

Continue lendo

Música

Lupicínio Rodrigues e Pixinguinha poderão ser patronos da música popular brasileira

Artigo

em

Por

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte aprovou nesta quinta-feira (25) o Projeto de Lei (PL) 2.151/2019, que declara os compositores Lupicínio Rodrigues (1914-1974) e Pixinguinha (1897-1973) patronos da música popular brasileira (MPB). Para Paulo Paim (PT-RS), Lupicínio foi um criador imbatível das canções sobre desilusões amorosas. Já Carlos Portinho (PL-RJ) enalteceu a importância histórica de Pixinguinha como músico negro que fez sucesso no início do século 20. O texto segue para a Câmara dos Deputados.

LEIA TAMBÉM

Continue lendo

Música

‘Ninguém Cala’: música de Beth Carvalho ganha nova versão e será tocada em jogo do Botafogo

Artigo

em

Por

O Botafogo está em festa! Campeão antecipado da Série B do Brasileirão e com acesso à Séria A garantido, o time carioca só tem motivos para sorrir. Além do sucesso em campo, o Botafogo ganhou uma homenagem póstuma de Beth Carvalho, que gravou em 2008 o canto da torcida “Ninguém Cala esse Nosso Amor”. A canção ganhou uma nova versão.

LEIA TAMBÉM

+ Embalado! Botafogo lança música de rap e vídeo entra em alta no YouTube

A cantora, antes de falecer em abril de 2019, gravou uma versão própria da canção que embala a torcida do Botafogo nas arquibancadas há mais de dez anos. O conteúdo será divulgado neste domingo antes da partida contra o Guarani, na última rodada da Série B do Brasileirão, no Estádio Nilton Santos.

A canção também ficará disponível nos aplicativos de música e streaming na próxima sexta-feira, dia 3 de dezembro.

Em 2008, a torcida do Botafogo lançou uma música que embalou as arquibancadas: “E Ninguém Cala Esse Nosso Amor”, cantada em jogos até hoje pelos torcedores. No mesmo ano, Beth Carvalho, apaixonada pelo clube, gravou sua versão para esse canto da torcida, que ficou guardada para ser lançada em outro momento que nunca havia chegado – até agora.

Nessa onda de resgate, a canção foi finalizada e a torcida do Botafogo poderá comemorar o título nesse domingo, no sistema de som do Estádio Nilton Santos, com a versão inédita de Beth Carvalho para “E Ninguém Cala Esse Nosso Amor”.

Continue lendo
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

TAGS

+ VISTOS

Copyright © 2021 powered by NH TV.