Home Entretenimento Educação Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SME

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SME

11 min read
0
Quer receber as principais notícias do NH TV pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.

Os pavilhões do Riocentro estão recebendo uma multidão de crianças, adolescentes e adultos apaixonados por livros. Na 19º edição da Bienal do Livro, os alunos e professores da Prefeitura do Rio também estão participando do festival literário do Brasil. No estande da SME — o R53, localizado no pavilhão 4 (verde), rua R — os mestres e seus alunos estão participando de diversas atividades, como oficinas pedagógicas, encontro com escritores, contação de histórias, exposição de trabalhos e consulta de títulos para leitura. São esperados mais de 600 mil visitantes na Bienal.

Para a gerente de leitura da SME, Carla Celestino, a visitação das escolas à Bienal do Livro é um momento que permite reforçar a importância da leitura.

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SME— Além da visitação, nós oferecemos para todos os professores e estudantes que visitarem a Bienal neste ano o estande da Secretaria Municipal de Educação. Aqui oferecemos um cantinho de leitura, contação de histórias, oficinas, um mural de recados e também os produtos da MultiRio, da programação e os jogos interativos no computador.

Muitos professores também aproveitaram a visita à Bienal para renovar o acervo das salas de leitura. Com caneta na mão, a professora de sala de leitura Fernanda Helena foi riscando da sua lista os títulos sugeridos pelos alunos da Escola Municipal Nicarágua, em Realengo. Para ela, o festival é também um momento de encontrar obras importantes para o currículo e também para a vida dos estudantes.

— Estou levando livros de contos, poesia, a coleção da Thalita Rebouças, que eles pedem muito, de jogos, e outros mais. Hoje em dia, como as crianças e adolescentes ficam muito no celular, dar valor ao livro é importante para mostrar a eles que existem outras opções de entretenimento.

Atividades educacionais

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SMEAlém de ser um local de compartilhamento de experiências pedagógicas, o estande da SME na Bienal está promovendo atividades para alunos da rede municipal. Na quinta-feira, 5/9, a arte educadora e atriz Beth Araújo aplicou a oficina de criação de livros de pano para 25 alunos da Escola Municipal Domingos Bebiano, em Inhaúma, homenageando a escritora Ana Maria Machado e seus 50 anos de literatura através da customização da obra “Menina bonita do laço de fita”.

— Essa oficina é a única no Brasil em que a criança faz o livro. A gente traz a base do livro costurada e em a cada folha de pano os alunos incluem colagens e o texto deles. E não poderíamos deixar de estar aqui, homenageando essa escritora tão importante e garantindo a eles um momento de interação com uma história tão bonita.

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SMEMaria Eduarda dos Santos, 11 anos, do 6º ano da escola da Prefeitura do Rio, adorou a experiência de criar seu próprio livro. A estudante é leitora voraz da escritora Ana Maria Machado e se encantou com o passeio pelos corredores da Bienal do Livro.

— Eu já li outros livros dela. A Ana Maria Machado é muito legal e escreve de uma forma muito bonita. Leio desde pequena e não imaginava que existia um lugar tão grande como esse com tantos livros para a gente conhecer. Vou falar para a minha mãe voltar comigo outro dia.

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SMEQuem for passar pelo estande da SME na Bienal também poderá deixar o seu recado sobre o que achou do evento no mural “O que a leitura representa”. Os alunos e professores da Escola Municipal Isaias Alves, em Guadalupe, escreveram mensagens sobre o valor da leitura. A escola recebeu, em agosto, a visita da atriz mirim e escritora Letícia Braga, pelo projeto Bienal nas Escolas, ação da SME em parceria com a Bienal do Livro que levou cinco escritoras consagradas para as unidades escolares da Prefeitura entre os meses de julho e agosto.

As estudantes Adriane de Sousa Assumpção, Agatha Freiras, de 11 anos, e Rafaela Angelina Ancelmo, de 9 anos, são fãs da escritora infantil e garantiram sua cópia do livro “O que eu vou ser quando crescer” durante o passeio. Para Adriane, a leitura pode ampliar a imaginação.

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SME— Sempre que eu leio um livro eu me sinto mais inspirada e viajo em outros mundos que não teria a chance de conhecer hoje — disse a aluna do 6º ano da Escola Municipal Isaias Alves.

Os alunos da Escola Municipal Monteiro Lobato, em Guaratiba, garantiram a foto no pavilhão dedicado ao público infantil pelo ambiente e se encantaram com a experiência imersiva e sensorial que funciona como um grande livro pop-up que ganha vida. A coordenadora da escola que homenageia o escritor do Sítio do Pica-Pau Amarelo, a professora Rita de Cássia, acredita que a leitura é fundamental para todas as idades.

— Incentivar a leitura é uma missão nossa como educadores. Sem ela a sociedade não avança e todo leitor tem o potencial de ampliar seus horizontes e ser o que quiser.

Mais incentivo à leitura

Na Bienal, alunos da rede municipal de ensino realizam uma série de atividades no estande da SMEAlém de estar presente na Bienal do Livro para receber e orientar alunos, professores e servidores e realizar parcerias diversas, como a Bienal nas Escolas, a SME promove, tradicionalmente, outros projetos de leitura, como a visita de autores e multiplicadores culturais nas unidades da rede municipal e a aquisição de títulos para compor o acervo das 1.540 creches, Espaços de Desenvolvimento Infantil e escolas. Também recebem obras diversificadas o Centro de Referência de Educação de Jovens e Adultos, o Instituto Helena Antipoff, a Escola de Formação Paulo Freire, a Sala de Leitura Lourenço Filho, que funciona no prédio central da Prefeitura do Rio, e as 14 Bibliotecas Escolares Municipais distribuídas por todas as regiões da cidade.

Load More Related Articles
Load More By - redação
Load More In Educação
Comments are closed.

Check Also

Mãe de MC Gui pede desculpas após polêmica com filho: “Um erro”

Após ser acusado de humilhar uma criança na Disney, o funkeiro MC Gui tenta se explicar de…