A Universidade Clemson informou que um cachorro diagnosticado com o novo coronavírus (Sars-CoV-2 ) foi sacrificado na Carolina do Sul. O animal, com idade estimada entre 8 e 9 anos, não apresentava sintomas da Covid-19, mas os veterinários decidiram pela eutanásia do cão por ele apresentar doenças crônicas pré-existentes.

De acordo com informações do G1, o cachorro — um cão pastor — foi testado após o dono ser diagnosticado com o novo coronavírus.

Até o momento, não há provas de que haja transmissão de animais domésticos para humanos ou que cães ou gatos possam desenvolver quadros da doença Covid-19. Porém, os veterinários que investigam o caso pedem cuidado entre os donos de bichos.

“Com base no conhecimento atual, continua não havendo provas de que animais domésticos tenham papel significativo em espalhar o Sars-CoV-2 para pessoas”, afirmou o médico veterinário Boyd Parr, diretor do departamento de Saúde Pecuária e Aves, em nota publicada pela Universidade Clemson.

Casos de pets com o novo coronavírus são raros, mas apareceram desde o início da pandemia. As pesquisas sobre o tema continuam em andamento. É recomendado restringir contato com pets ou outros animais, da mesma forma com outras pessoas, caso esteja infectado com a Covid-19.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que, até o momento, não há evidência significativa de que animais de estimação possam ficar doentes ou transmitir a Covid-19.

Load More Related Articles
Load More By - redação
Load More In Destaque
Comments are closed.

Check Also

Funsat de Campo Grande – MS informa novas oportunidades de Emprego

A Fundação Social do Trabalho (Funsat) de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, anuncia a aber…